12 junho, 2017

Resenha Filmes #24: A Múmia



    Oi gente tudo bom com vocês? Nos antigos impérios da Mesopotâmia, Ahmanet, futura sucessora de seu pai no trono, ao ter seus planos de invocar o deus Set interrompidos, o deus da morte, para juntos terem o poder de governar o mundo.  Ao ser mumificada viva, é aprisionada dentro de uma tumba. Nos dias atuais dois saqueadores de artefatos antigos e uma pesquisadora acidentalmente redescobre a tumba e por um acidente acabam despertando a múmia dentro do sarcófago. Vem comigo saber mais na resenha de hoje.


  Nos grandes impérios do Egito antigo era muito comum eleger o primogênito independente do sexto, neste caso Ahmanet, foi preparada desde pequena para ser a sucessora de seu pai até que uma de suas esposas o deu um filho homem tirando quaisquer chances dela chegar ao trono. Para atingir seus objetivos então ela invoca, Set, o deus da morte, para juntos conseguirem assumir o controle.


                                   Resultado de imagem para A múmia

    Ao fazer o ritual e ganhar a adaga de Set, a jovem mata seu pai e irmão. Antes de tomar o controle do reino e completar o ritual, ela é mumificada viva e aprisionada e trancada em uma tumba onde é condenada a passar o resto dos séculos.

                                       Resultado de imagem para A múmia

   Nos dias atuais uma dupla de saqueadores de antiguidades e uma pesquisadora encontram a antiga prisão onde Ahmanet está e com toda cede para descobrir o que ah dentro. Desenterrando o sarcófago eles o levam para pesquisas, mas nem todos chegam vivos ao centro devido a complicações durante a viagem.

                                         Resultado de imagem para A múmia

      Acordando então a poderosa servidora do deus Set, Ahmanet, ira fazer de tudo para achar a pedra da adaga e reviver seu deus, completando então seu objetivo sessado há séculos. Mas para isso terá que lidar com a equipe do Dr. Henry Jekyll.


                                         PAUSA PARA A CRÍTICA


    O  Egito antigo é cheio de surpresas e esse filme também, pelo trailer tínhamos uma boa apresentação da composição da história e personagens, mas ao assistir o filme algumas pontas soltas vão aparecendo e são delas que vamos discutir na crítica de hoje.

   A personagem da múmia tinha tudo para ser boa e foi no contexto da história dela ter sido uma sucessora deposta pelos costumes do Egito antigo que era muito forte, mas quando parte para a execução dos porquês dela invocar o deus da morte, Set, matando sua família. Já começa a ficar meio mentiroso porque quando ela renasce vemos um jogo de efeitos especiais que acaba sacrificando a vilã que poderia ter uma construção interessante.

  Tom Cruise no papel de, Nick, um dos saqueadores que acaba sendo escolhido pela Ahmanet, acaba assumindo a característica de todos os demais personagens do ator que é correr, fugir e se esconder. Não tendo um propósito maior do que se proteger e da um final feliz a trama. Sendo assim um personagem principal sem motivação alguma.

    O único personagem da trama que se faz muito interessante e o Dr. Henry Jekyll, onde de outras histórias vamos conhecer pelo médio e pesquisador de criaturas e maldiçoes que até então não vinham a ter uma solução. Guardando então em seu escritório espólios de todas as suas descobertas. Além de ter um monstro dentro de si.

    No mais o filme tem um roteiro muito previsível, porque segue claramente o principio de que a múmia ira destruir tudo para atingir seu objetivo e por conta dos heróis será aniquilada e alguém ira sumir as consequências de uma maldição eterna.


   Uma nota para A múmia é 4,5 por muitos desfalques que poderiam ser corrigidos de varias maneiras e pela falta de melhoramento de muitos personagens. Espero que tenham gostado, deixem seu comentário e até o próximo post. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

imagem-logo
© Do meu mundo ao seu mundo - 2016. Todos os direitos reservados.
Design por: Rachel Domingos - Apê Design.